17 de mai de 2013


Disseste-me…

Esta noite sonhei com pessoas mortas suspensas em ramos de árvore frágeis, sob a bruma noturna iluminada de luar. Sonhei que fugia mas não havia fim para a fuga. Sonhei que matava, e intriguei-me a pensar  “ se mato… terei sido eu?”

E eu…

Sonhei que te beijava. E que tu até precisavas de mim. Quem sabe um dia em vez de precisares de mim até me venhas a querer. Isso é que eu gostava. Depois, no sonho, senti que era tempo de te contar o meu segredo, se segredo é para ti. Nunca te cheguei a contar, porque só agora percebo claramente que, se sonhei contigo, passado todo este tempo. Se sonhei que eras minha, às tantas, é porque te quero.                                                  
Ora…                                                                          esquece.
Gosto muito de ti, só isso. Ou talvez a palavra amor seja muito fechada para o que sinto. Talvez não precise de te amar para te amar, e então te ame assim, sem te prender.

A sério? Poh! tens pesadelos mesmo fortes! Eu tenho sonhado com nada.é.

Um comentário:

je suis...noir disse...

Olha que bonito!