21 de set de 2012

MEMÓRIAS DE PAREDES DE COURA - II


15 de Agosto, pois claro – essa data que o diabo roubou aos céus só para me azucrinar o juízo. Foi duro! Acordei taciturno e moderadamente interessado em sorver ruidosamente uma sopa morna – o pequeno-almoço dos campeões! Antes disso, bateram à nossa porta com luciférica violência. Pensei, inicialmente, poder tratar-se de uma vizinhança amotinada, munida de tochas e forquilhas, como se, inadvertida e acidentalmente, lhe tivéssemos roubado ‘à cara podre’ um estendal para pormos a nossa roupa a secar. Estranhei, pois nada disso acontecera realmente senão em sonhos meus. Eram, afinal, senhoras de Lisboa que vieram propositadamente da capital para me dar banho e cofiar com pentes de madrepérola os meus felpudos costados…

Fomos depois comer a tão ansiada sopa. Não podia ser num sítio qualquer! O meu fino génio, de gosto caprichoso, clamava por uma coordenada de estrelas cuja envolvência reunisse num só aroma, qual etéreo perfumista, o deleitoso e quente aroma dos fritos aliado à fragância das casas de banho, hermeticamente fechadas durante meia hora. Em suma, fomos ao Arcada Fire.
Saímos depois para a esplanada onde, para além de encontrar amigos marcoenses, me foi permitido achar um saquito com bolota no pavimento. É verdade! Achei uma talisca de bolota no chão que prontamente se entregou às autoridades, sob pena de aquilo provocar tentação às mentes mais frágeis. O polícia disse-me, com um sorriso, que era ‘da boa’, levando-me a crer que o estupefaciente proviria da regueifa da Sara Norte…

Fomos depois à ‘Boca da Boceta’ onde, em permanente atrofio mental e eminente quebra de tensão, sorvi algumas minis. Fomos muito bem tratados e, se de algo tivesse a queixar-me, seria por a minha cadeira não ter rodas, para além de um nítido desinteresse em segurarem-me a cabeça, quando era notório que ela pendia e eu me babava. Ao invés, encheram-me as goelas com pimentos padron e fêveras quentes - não é maneira de se tratar um vegetal! – mas conta a boa-vontade!

Depois disso fomos ver os ‘Frangles’, cuja performance correspondeu às expectativas…

Mas isso já são contas de um outro rosário que depois vos contarei, criançada… até porque amanhã é dia de escola, a fogueira está a apagar-se e eu não tenho aqui mais nenhum presidente da República para botar ao lume.

Vá, ponham-se agora todos em filinha para dar um beijinho no prepúcio aqui do Grande Chefe, como é costume da nossa tribo…

Continua…

Nenhum comentário: