2 de jul de 2012

Trai-nos de volta


Faz o que te apetecer!
Estar vivo é como estar para morrer
Mas sabe que é livre a dona do meu mundo
Ainda que nele finja ser coluna grega…

Casa-te com quem quiseres
E mete os cornos ao destino
Que Deus não te fez para leres romances
De cabeceira
Ou sonhares apenas
Porque tens de dormir…

Manda-me calar para ver o sol
Tira-me do meu frasco de formol
Faz aquele jeito
Que o teu peito
Faz do meu o teu lençol…


Nenhum comentário: