21 de fev de 2012

Hoje e sempre!


É hoje que o coração me falha,
Que Deus me ralha,
E que o diabo sorri!

É hoje que me falha a pena
Que o diabo serena,
E que Deus m’explica porque tanto sofri!

É hoje que o frio se abandona de vez do meu corpo
E que eu durmo quente e perdoado,
Sem achaques nem emoções…

Que de vez o sol se foge de iluminar-me as ventas
Que o banho se finda,
Que um gesto de coragem fecha a torneira da água quente…

Que me jogo aos cães e à rua
Como um corpo sem alma
Ou um coração grande
Atirado ao chão da cozinha…

É hoje que me não suicido
Que a morte me vem
Porque disse aos meus pais que os amava,
Eternamente agradecido por me terem deixado
Ser livre e ser criança
Até tarde demais e
Tout la vie


Nenhum comentário: