22 de fev de 2012

É onde o vício se instala que eu semeio a minha fortuna ao vento!


É onde o vício se instala que eu semeio a minha fortuna ao vento!
Que as moedas do sucesso me caem dos bolsos,
Que o teu coração me beija e me foge…

E eu fico tão só,
Apertado contra a multidão
E a espirrar contra o peito o meu fino…

Eu queria correr
Ou voar-te de longe
Ou chorar-te os cabelos
E prender-te por trás…

Eu queria deixar-te
E seres feliz sem ninguém a abraçar-te
Ou beijar-te
Teres apenas um cão feliz pela mão…

Mas é onde o vício se instala
Que o baile se amaina contigo a fugir…

Eu sorrio e faço no ar um gesto romântico com o cigarro
Como se desse para a boémia um mote de maestro…


Nenhum comentário: