8 de mai de 2010

Quase perfeita

.


Verborreia-me na tua beleza,
No toque de fogo que pões com a mão nos cabelos
A escorrer-te as costas nuas…

Tão dona de ti,
Tão foda-se todos os homens
E fazeres cara-feia às mulheres que te tentam beijar.

Tão dona de ti
Como de te pores vadia, quase
Inocentemente.

És como um pássaro de pessoas livres...
E não há nada mais agrilhoante do que ser um pássaro de pessoas livres!
Porque uma coisa é seres livre como elas
E outra é seres branca de viver a vida toda à sombra…
Sem a ascensão de olhar
Com que um escravo contempla
O pássaro simples.

Deves chorar muito
Como quem tem uma caixa qualquer onde se vai ver
De vez em quando…

Uma santa mexicana que ninguém conhece
Ou uma pedra do monte que te guarda os segredos…

Deves ser assim, ou talvez não…
Mas isso,
Tudo ou nada quase interessa
Para o querer foder-te
Tanto…


.

Nenhum comentário: