7 de jul de 2009

Ode a um Capuccino Vermelho

Fiquei sem Net por uns instantes e, enquanto o Google se esgadanhava para abrir como uma virgem assustada, houve uma mosca que se deu ao desplante de parar no meio do ecrã branco a esfregar as patas de contente, metendo a cabeça entre elas como se ajeitasse o cabelo comprido ou coçasse piolhos. Só para me irritar. Apanhei-a num lanço e comi-a. Confesso que gosto mais de lagartas. Fico sempre com uma sensação de borboletas na barriga, como se estivesse apaixonado. Vem depois um Whisky de Mal a chover-lhes nas asas coloridas e o meu amor desbota. Dá para dormir mais descansado, ainda que sem antídoto ou remédio para as penas de corvo que me chegam à boca na metamorfose das manhãs.

.

Nenhum comentário: