24 de abr de 2009

O pão que o diabo amassou

.

Sem grande coisa para fazer neste momento, encontro-me naquele limbo meio parvo entre beber mais um copo e comer uma sandes ou bater uma e dormir. Bater píveas é para os fracos e, como tal, bebo mais um copo, acumulando esperma para a próxima reencarnação…
Hoje a moça da padaria tocou-me nas mãos por várias vezes. Agarrou-as para me dar uma sugestão gastronómica de sandes depois de eu lhe ter pedido uma baguete. Devia ter-lhe pedido o número de telefone. Devia mas não pedi. Não me detenho nas mãos que me fazem o pão mas penso no seu jeito para o manejo da farinha amolecida algures no pré-pão. Deve haver alguma pornografia nas argamassas manejadas com tesão. E depois o calor do forno… não é coisa para se tratar com indiferença.
Ela tocou-me nas mãos, não com o viço de quem amassa farinha, mas com o cuidado de quem lhe bota o sal. E eu pensei para os meus fechos éclair, - tal como os bolos da sua vitrine: - “esta garota quer que lhe amassem a sêmea!”
Tenho pensado na sua regueifa dominical e, um dia destes, vou perguntar-lhe se quer ajuda para fazer pão com chouriço. Ah pois com certeza que vou!

.

4 comentários:

Amora disse...

Quem diria que o menino de talho se conteria quanto a uma possivel entrega aos prazeres da carne depois de tão abrasva abordagem da moça da padaria!Iniciou-se no sexo tântrico o menino?! Sim, porque esperar pela próxima reencarnação só se for como gigolo para libertar tanto esperma retido:)

Menino de Talho disse...

Pois engana-se (mais uma vez), tal como enganado me acho eu em dar-lhe a atenção que, nitidamente, não merece.
Gosto tanto de sexo tântrico como de amoras, especialmente daquelas que abrem a boca para falar de sexo em vez de a usarem como depósito de oferendas…

Amora disse...

Enganado realmente está em dar-me atenção...:)

Mas Turbante disse...

Numa só palavra:
cáscáscás!!!

Em mais palavras:

Adoro este Quim-barreirismo de contornos eruditos! Ri-me estupidamente e os outros funcionários repararam nisso.