13 de out de 2008

Solidariedade Gourmet


O candidato Jonh Mccain disse “não é tempo de tentar encontrar culpados, mas de encontrar uma solução para o problema”.

Tradução: Apesar de se ter feito merda da grossa, vamos deixar que os responsáveis por ela continuem no poder. Ao invés, vamos antes encontrar uma solução para nos livrarmos do monte de estrume que eles fizeram com o nosso dinheiro.


Aliás, hoje apetece-me mandar umas postas de pescada... se bem que, nos dias que correm, o melhor é guardá-las no congelador... metê-las no banco está fora de questão.

Uma questão assalta-me, disfarçada de outras mil...

- Onde estão os gajos que não queriam que o Estado interferisse no privado? Ah! Já me esquecia. Estão na mesma palhota dos filhos-da-puta que disseram que o mundo ia acabar no ano 2000 e andaram a vender cruzes brancas (onde supostamente se estaria a salvo do Apocalipse). Não se lembram? Eu lembro-me bem (e não comprei nenhuma!). Também me lembro aí de um banco que andou a perdoar dívidas de milhões de contos aos filho do seu presidente. E também me lembro de um outro artista, que se dedica a falar de arte e poesia nas revistas, que foi "dispensado" com uma indemnização de outros tantos milhões. E o que dizer dos prémios chorudos que os quadros das empresas, agora na falência, distribuíram entre si há tão pouco tempo?


Concordo com a besta republicana. O melhor é mesmo encontrar a solução para o problema. O que nos divide, porém, é que eu acho que a solução é identificar esses burlões e pô-los a tomar 3 duches por dia em Custóias.


Um comentário:

vasco disse...

Citando o grandioso Woody Allen: "o resto do mundo suspeita (?) que o povo americano seja burro; se McCain ganhar, passa a ter certeza"