27 de abr de 2010

Memórias de Paredes de Coura - The Redemption

.
Ai estes primeiros dias de calor que sabem tão bem! O sol espraia-se pela tarde como se viesse de um longo período de hibernação ou de cantar a Nau Catrineta com putos de antigamente. A Primavera prenuncia sempre alguma felicidade. As crianças correm felizes pelos campos, descobrindo alergias respiratórias e o bem que sabe ser picado pelas vespas; os velhos batem a caçoleta e os orçamentos familiares ganham mais folga para prestações e gelados. Até os drogaditos parecem mais felizes, vendo brotar com esperança os cabeços nas suas plantas de solário…

Mas do que eu mais gosto é do cheiro das noites. – Uma rockada de cio enche o ar de perfumes sexuais e a malta bota-se a tomar refresco na esplanada. Depois há o Beerfest que a socialite Vicky Fernandes, no seu livro “Saber Estar”, desaconselha em absoluto… e Paredes de Coura que, talvez por esquecimento, não merece qualquer referência!

A festa foi gira, pá! Música boa e muitos sucessos gástricos. A escolha do gástrico para descerrar este capítulo de memórias, não é inusitada, uma vez que nas Warm Up Sessions alguém estourou na toilette. Quem testemunhou a mise-en-scéne, deixada pelo terrorista anal, chamou-lhe o “Ground Zero”… e diz que ali se chorou mais que em muitos enterros de família.

Apesar de tudo, este terrível acontecimento não roubou apetite aos convivas. O dia das bifanas, por exemplo, foi glorioso. Confesso que, antes de descobrirmos o Albergaria, comemos muito “gato por lebre” e, invariavelmente, lá chegou o fatídico momento de, uma vez digerida a ossatura do bicho, a Hello Kitty pôr o seu lacito de fora, lambendo a truce já de si bastante agredida pelos miados intestinais. Em desespero, houve quem tivesse ligado para a TelePuta a pedir o “Menu Felattio com cola, complemento de E0.50 de botão-de-rosa e 1 squirting de morango com topping de caramelo, bem como um Happy Meal com brinquedo sexual” para o Lambedor de Sobrancelhas e precursor do movimento AgroFreak Style

As tardes foram passadas no Arcada Fire, - esse belo cenáculo de epicuristas que vendia minis em resmas-de-três a E2,10, ao som do Vítor Espadinha. Pelo meio, saudamos com bastante reverência Samuel Etoo e o Fredie Guarin que por ali andava a passear a Katty Perry… uma linda demonstração de amor que nos deixou a vociferar contra os céus:
- E eu? A minha vida? O meu coração? – DESPEDAÇADO!!! (uma bela máxima que nos foi ensinada por aquele rapaz que tem contrato com a Nívea).

Não se julgue porém que as tiradas filosóficas ficaram por aí. Não senhor! Tínhamos tudo a nosso favor! – Pluviosidade mínima com possibilidade de boas abertas, cerveja fresca e um rádio pendurado no guarda-sol. Só para se ter uma ideia, aqui fica um cheirinho de hortelã para conaisseurs:


- “Espera aí um bocadinho que o tarado está a afiar a pissa!”
- “Santieiros abertos em flor”
- “Que rica alface para a minha grila!”
- “Acabei de lançar uma girândola na porcelana!”
- “As gajas nos chuveiros eram tão boas que até pus champô duas vezes”
- “Tu não vais de férias, vais de vinha-de-alhos!”
- Isto não é poesia! Poesia é quando um gajo num percebe!” (definição de poesia por Tónio Cuco, antes do jazz na relva)

Ah! E expressões a ter em conta numa boite:

- “Com essa boceta linda, matavas um autocarro!”
- “Queres beber, bebes da minha Seven Up

A certa altura, o humor foi ficando mais fraquinho devido à falta de ácidos gordos e Ómega 3, mas não o suficiente para impedir o ribombar das tendas. Porém, quando a inspiração faltava, a gente abeirava-se das barracas da $AGRES. Sacanas! Só vendiam espuma com cerveja. Excepção feita a duas meninas daquela barraca junto aos Toys inclinados. Quais? Aqueles junto à rede, em que um gajo tinha de pôr uma bota na tampa da sanita para não cair de ventas no caldo de mijo e pensos higiénicos usados. Sim, esses mesmos! Adiante. As moças da barraca tratavam-me bastante bem e uma delas até se lembrava de mim do ano transacto. De cada vez que eu lá ia (pedir informações) saudavam-me dizendo “Oh, meu príncipe!” – é verdade, embora tanta cordialidade se tivesse reflectido em parquíssimos finos. Mas, no cômputo geral, até se pode dizer que eram raparigas de bem e muito educadas…

No que diz respeito aos concertos, Patrick Wolf fez a actuação mais feminina do festival, Peaches a mais masculina; Nine Inch Nails sacrificaram um vitelo em palco “à garfada” e os Franz Ferdinand quase escacharam uma bateria que até estava em muito bom estado…

Para terminar, gostaria de endereçar aqui as minhas mais sinceras vénias a todos quantos me agraciaram com a sua paciência e companhia. Queria também dizer àquela espanhola que me veio pedir chiclas que, para o ano, não lhe perdoo. Para o espanhol que me veio perguntar se eu sabia onde arranjar MD’s, só tenho uma coisa a dizer:
- “Está descansado, hermano, que eu este ano levo-te um. Se eu não conseguir arranjar, conta pelo menos com o pára-choques de um carro, ok?”

Vá, agora ide todos fazer pela vida…
.

5 comentários:

Anônimo disse...

Gostei Sr. Mal... Gostei sim!!!
Embora ainda faltem alguns pormenores serem contados ao Mundo... :) Ou takvez não... ficam na memória dos estafermos que por lá passaram aqueles maravilhosos dias!!!!
Veijos...
Helena Silva... Lenita ou burakita...

Moço do Chapéu disse...

Eh pah... "Acabei de lançar uma girândola na porcelana" é provavelmente das melhores expressões da História e eu tenho mesmo pena de me ter esquecido dela!! Vou rapidamente traze-la de volta para o meu léxico, e quiçá pô-la em prática!!

Long live Lambidos pelo Diabo...

Tónio Cuco disse...

Bela descrição mas também acho que haveria mais para contar. Relembro em especial, sessões privadas de cinema e auto-gratificação em tenda!!

Sr. Mal disse...

Claro que sim. Fica muita coisa por contar, pelo simples facto de eu não me lembrar assim tanto das coisas, mas lembro que, sobre este assunto, já houve um capítulo em que se falava de muitas coisas, creio inclusivamente de Tobllerones...
Agora, sessões privadas de cinema e auto-gratificação em tenda??? A sério que não faço a mínima ideia...

Moço do Chapéu disse...

Digam de vossa palavra, aqueles que se lembram das sessões privadas de cinema e auto-gratificação em tenda que ocorreram em PdC!! ;)

without, i really mean WITHOUT, detail!! Let's reserve that to a personal chat =P