14 de jul de 2008

O Céu

...

Estava com um certo apetite. Afinal de contas, são quatro da manhã. Na verdade, estava farto de beber cerveja e de fumar cigarrilhas. Abri o frigorífico e uma revista (não sei ao certo qual deles abri primeiro)...
Vi umas praias na costa vicentina e imaginei-me por lá. Só eu e os meus demónios, todos muito retóricos e poéticos e eu sem malha para os enredar. Imaginei-me a pescar nas rochas, a fazer uma fogueira e a cozinhar um danado que se enamorou pelo meu anzol, peixe, entenda-se...
Enquanto lavava uma sertã, daquelas que confundem os fritos com grelhados, não abandonei o filme...

Se pudesse (e quem me impede?) arrancava amanhã por aí abaixo, por um deserto qualquer com visão de mar. Imaginei-me a fazer estes pedaços de céu que comi agora e só tive pena de não os poder partilhar...

Por mim, mando-me sem telemóvel mas com uma mochila de campismo. A primeira pessoa que partilhar desta maluquice, que se manifeste. Arrancamos os dois sem destino, de preferência à boleia ou de comboio, para não engrossar cortejos deprimentes. Não prometo felicidade nem tempos bem passados. Apenas uma boa fogueira e, possivelmente, um cabo de mar a expulsar-nos de uma praia deserta...

Fica o convite...


...

3 comentários:

Pinheirinha disse...

Adoro a costa vicentina, o mar, as encostas, as praias desertas (sim, porque ainda é possível achá-las), o céu estrelado ali a pousar no mar...

Agrada-me a ideia de ter um cozinheiro à disposição... e que bom cozinheiro, diga-se de passagem!

Não iria sem telemóvel, o que seria desde já uma desvantagem para ti, porque inevitavelmente iria tocar ou marcá-lo pelo menos uma ou duas vezes ao dia.

Campismo também não soa mal, mas penso que te estás a referir ao selvagem e isso nunca fiz, por isso não sei como reagiria. E dormir? Teríamos de dormir juntos? Humm... nem sei que comentário faça a esta minha questão.

À boleia? E se nos aprece outro Sr. Mal ou um Menino do Talho? Não me parece boa ideia... comboio gosto mais.

Concluindo... até ia, lool, mas falta outra coisa para que isso se concretizasse, que é dinheiro. E como tu resolveste despedir a sociedade em peso, eles não me vão pagar as traduções e eu não vou poder ter o meu cozinheiro pessoal :(

Por fim, pergunto: que achavas da minha companhia? Não me digas que para nos encontrarmos o Porto é longe, mas a costa vicentina é perto, lool. ;)

Beijocas meu bonzinho Sr. Mal :D

vasco disse...

Onde tenho de assina?

Abraço

Amora disse...

Já venho tarde... passou quase um ano e tenho a certeza que este céu ou desejo foi cumprido ou extinto em sonho. A fogueira seduz a mais aventureira das almas nómadas e anónimas que perdida se encontraria no calor das suas brasas como encontrada está a amante nos braços do amado.